Wednesday, June 5, 2013

O que é que o Goiás tem? Arroz de Puta Rica.


 Dizem que essa receita é originária da região de Goiás, onde uma famosa cafetina servia o tal arroz aos clientes. Mas é possível que sejam lendas urbanas, como o molho à putanesca italiano. Fato é que se assemelha aos diversos tipos de arroz composto por várias carnes e vegetais, como o Arroz de Braga ou o Jambalaya. A “riqueza” desse arroz está para mim na fartura de ingredientes e na presença do açafrão, que dá um gosto especial e uma cor amarela ao prato. Embora não tenha localizado a referência na internet, lembro-me já ter visto essa receita em algum outro país da América Latina ou Central. Seja de onde for, e a puta goiana seja apenas uma lenda, é um prato fácil de fazer, relativamente barato e muito saboroso.

Eu comi esse prato pela primeira vez no restaurante Vira-lata, em São Paulo, que infelizmente já fechou. Mas ainda é possível provar a iguaria no Tordesilhas, um restaurante de comidas regionais de todo o Brasil. A comida é muito boa, eles têm um cardápio variado e bem preparado, que pode ser servido à la carte ou self-service. E pra quem vai a Goiânia, dá para experimentar em vários restaurantes da cidade.

Bem, vamos ao prato! Você vai encontrar várias receitas na internet, sempre com algumas variações. O importante é usar os produtos que você goste. Anote aí os ingredientes:

02 xícaras de arroz
01 cebola picada
04 dentes de alho picados
300g de sobrecoxas de frango
200g de bacon defumado
300g de costela defumada
01 linguiça portuguesa defumada (nesse caso eu usei uma linguiça portuguesa artesanal preparada por um amigo)
01 lata de milho
01 lata de ervilha
200g de champignon
Coentro e Cebolinha picados (pode usar salsinha para quem não gosta do coentro)
Manteiga
Azeite de Oliva
Pimenta malagueta ou dedo-de-moça
03 ovos cozidos
01 copo de vinho branco
100g de uvas passas brancas
Sal
Açafrão-da-terra ou Cúrcuma (é um pó amarelo que é vendido no display de temperos dos supermercados. Também pode usar o Açafrão verdadeiro, que é muito saboroso, porém mais caro.

Modo de preparar:

Coloque 100g de manteiga para derreter com um pouco de azeite. Como já expliquei em outras postagens, o azeite impede a manteiga de queimar. Refogue o alho e a cebola e coloque o frango para cozinhar (o frango é a carne da receita que mais tempo leva para cozinhar). Quando estiver douradinho, acrescente o bacon. Vá acrescentando os ingredientes tampando sempre a panela, para facilitar o cozimento. Vá acrescentando água aos poucos para não queimar os ingredientes. Coloque a costela cortada em pequenas tiras, a linguiça e deixe cozinhar.

Quando as carnes estiverem bem cozidas (é sempre bom dar uma espetada no frango para ver se cozinhou bem por dentro, cubra os ingredientes de água, acrescente o vinho branco e deixe cozinhar um pouco. Quanto levantar fervura, coloque duas xícaras de arroz e mexa. Vá cozinhando o arroz, tomando o cuidado para não mexer demais. Acrescente o açafrão aos poucos, até dar uma cor amarela ao caldo. Nessa receita preferi usar o açafrão verdadeiro que ganhei de uma amiga que veio da Turquia. Seja qual for, ele dá uma cor bem amarela ao arroz e além disso deixa o prato bem mais saboroso, com uma leve “picância”. O açafrão verdadeiro é uma flor e bastante usado nos países do Oriente. A cúrcuma ou açafrão-da-terra é na verdade um tubérculo (uma raiz) prima do gengibre. Experimente o caldo e, se não estiver muito picante, acrescente um pouco da pimenta picadinha.  Nessa receita, como usei uma linguiça apimentada e salgada, não precisei colocar mais pimenta nem sal.











À medida que o arroz for ficando maior, acrescente com cuidado o champignon, o milho, a ervilha e as passas e, quando o arroz estiver pronto, acrescente o cheiro verde. Pique os esfarele os ovos por cima do prato e está pronto.

Deixe na mesa o azeite, o sal e um molho de pimenta a seu gosto. Deve ser comido quente, mas também dá uma boa marmita no dia seguinte. Se ainda sobrar, pode congelar e fazer um maravilhoso bolinho de arroz numa outra ocasião.

E para beber, o prato vai bem com cerveja nos almoços em dias quentes ou um bom vinho nas noites frias. Eu preferi um bom vinho gaúcho, o Dal Pizzol Merlot 2009.
 
Restaurante Tordesilhas
Alameda Tietê, 489 - Cerqueira César - São Paulo - SP
Telefone: (11) 3107 7444